Receba grátis nosso conteúdo

Como cuidar dos dentinhos do seu filho!

Meu filho nasceu com um dente (dente natal), e agora?

20 de outubro de 2015

Normalmente os primeiros dentes de leite erupcionam por volta dos 6 meses de idade. Porém em alguns bebês apressadinhos o dentinho pode nascer com um mês de idade, chamado de dente neonatal, e em alguns casos vemos bebês que já nascem com dentinhos, chamado de dente natal.

Os dentes natais e neonatais são relativamente raros e ocorrem em aproximadamente em 1 a cada 2.000 a 3.000 nascimentos, e em alguns casos a sua presença pode estar associada com algumas síndromes médicas, porém isso não é a maioria. Em grande parte, os dentinhos apressadinhos são casos isolados sem realação alguma com qualquer síndrome ou doença.

Na maioria das vezes, os dentes natais e neonatais são na arcada inferior, pequenos, cônicos e pouco desenvolvidos, apresentando uma coloração amarelo-acastanhada e defeitos no esmalte.

Caso seja o caso do seu filho, leve a um Odontopediatra o quanto antes. O dentista fará um diagnóstico diferencial para saber se o dentinho faz parte da dentição de leite, grande maioria dos casos em torno de 85%,
ou se é um dente a mais que se desenvolveu (suprenumerário).

UIPI_-_BEBECOMDENTE_-_090511DENTE-NEO
dentenatalclinicodentenatalrx
Dente Natal com radiografia demonstrando ser da série normal da dentição de leite

Nessa consulta o Odontopediatra avaliará algumas características, como:

  1. Inserção do dente: em alguns casos o dente está pouco inserido, preso apenas pela gengiva e com bastante mobilidade, nesse caso o Odontopediatra avaliará a real necessidade de extrair esse dente ou deixar na boca do bebê;
  2. Forma do dente: poderá ser necessário também o arredondamento do dente, caso a mãe tenha algum desconforto na amamentação;
  3. Avaliar se está provocando uma úlcera traumática na língua do bebê, conhecida como doença de Riga-Fede, que pode também gerar um desconforto para o bebê na amamentação;
  4. Mobilidade: o risco maior do bebê não é engolir o dente, mas sim aspirar. Caso o dente vá para o pulmão, algumas complicações sérias podem ocorrer.

É necessário também fazer o diagnóstico diferencial com outras características que podemos ver nos recém nascidos como :

  • Nódulos de Bohn: estruturas amareladas localizadas na gengiva do bebê. Não é necessário tratamento, desaparecem espontaneamente.

nodulos-de-bohn1-e1380635142506 cistogengivalrecemnascido

  • Pérolas de Epstein: bolinhas esbranquiçadas e duras, do tamanho de uma cabeça de alfinete. É um tipo de cisto na região central do céu da boca (palato).Na maior parte dos casos, as pérolas de Epstein desaparecem espontaneamente após uma a duas semanas de vida, sem nenhum tipo de tratamento, além de provocarem dor e não ser sinal de doença. São resultado do bloqueio das glândulas mucosas, ainda imaturas. Às vezes, podem até ser confundidas com sapinho ou, quando localizadas nas gengivas, com dentes.

peroladeepstein

Meninas, eu citei algumas características mais comuns em bebês, mas existem tantas outras. Algumas delas não tem relação com dentes, ou seja, bebês sem dentes podem ser acometidos. A visita ao profisisonal especialista no atendimento ao bebê, pode ser feito em qualquer idade, afinal, visitar o dentista com uma lesão já instalada pode atrapalhar e muito nosso atendimento, e consenquentemente a adaptação da criança ao profissional e o ambiente do consultório.

Meu objetivo aqui é apenas informar, já que esta é a melhor maneira de prevenir problemas bucais. Não quero assustar nenhuma mãe, afinal como mãe sei que nos preocupamos até com um fio de cabelo que cai 😉

 

Portanto, leve seu filho ao Odontopediatra. Você pode reduzir em até 90% o tratamento curativo com um programa preventivo.
Um abraço,
Dra. Juliana Marchi

Deixe seu comentário